Luvas não estéreis

Luvas de látex não estéreis (para procedimentos não cirúrgicos)

Luvas de látex devem ser usadas quando há risco de contato com fluídos, secreções ou superfícies contaminadas por agentes infecciosos. Devem ser colocadas antes do contato com o paciente e removidas imediatamente após o término do atendimento/procedimento. Luvas de látex NÃO devem ser reutilizadas. Jamais tentar inverter luvas usadas para reutilização; DESCARTE luvas a cada uso. Sempre remova as luvas usadas e troque-as por luvas novas para prosseguir com a remoção de EPIs. Dependendo do procedimento, dois pares de luvas devem ser utilizados, um sobre o outro.

Orientações gerais [1]

(I) Utilize somente luvas com registro na ANVISA;

(II) Selecione o tipo (estéreis, não estéreis, látex, nitrílica, vinil) e tamanho (PP, P, M, G ou GG) da luva a ser utilizada para cada atividade;

(III) Sempre higienize as mãos antes de colocar a luva;

(IV) Higienize as mãos imediatamente após descartar as luvas;

(V) Sempre utilizar luvas em precauções de contato (por exemplo, nos casos confirmados ou suspeitos de COVID-19), tanto para tocar no paciente quanto para tocar em superfícies próximas ao paciente;

(VI) Jamais leve as mãos ao rosto enquanto estiver usando luvas;

(VII) Jamais manuseie itens de uso pessoal enquanto estiver usando luvas;

(VIII) Sempre substituir as luvas quando as mesmas se encontram sujas, rasgadas, entre pacientes diferentes e quando mudar de um sítio anatômico contaminado para outro limpo em um mesmo paciente;

(IX) Remover as luvas imediatamente após cada atendimento ou procedimento;

(X) Não manuseie superfícies ambientais usando luvas, como por exemplo, maçanetas, portas, torneiras (utilize torneiras de pé ou com sensores);

(XI) Descarte luvas em lixo infectante;

(XII) Jamais reutilize ou descontamine luvas. Troque por luvas novas;

(XIII) Utilize o procedimento correto de retirada de luvas.

Como colocar as luvas de látex não estéreis

(i) Certifique-se que suas mãos e antebraços estão higienizados;

(ii) Certifique-se de que as luvas não estão danificadas. Luvas devem ser acondicionas de acordo com as instruções do fabricante, para evitar que rasguem acidentalmente;

(iii) Vista as luvas normalmente;

(iv)  Certifique-se de que elas estão cobrindo o punho do avental, jaleco ou macacão descartável;

(v) No caso de dois pares de luvas sendo utilizados simultaneamente, o primeiro poderá ser preso ao macacão com o auxílio de uma fita crepe grossa,  duas voltas da fita são suficientes. Certifique-se de dobrar a ponta ao final, para facilitar a retirada depois.

Como remover as luvas de látex não estéreis

Faça o download dos pôsteres para impressão aqui

A remoção de luvas de látex descartáveis é um dos procedimentos mais negligenciados pelos profissionais de saúde, e ao mesmo tempo um dos que mais gera aerossóis e contaminação da pele. Ressalta-se que a desparamentação, de maneira geral, é um dos procedimentos mais críticos para o profissional de saúde, pois constitui um momento de grande risco de infecção. Todo e qualquer procedimento de desparamentação deve ser realizado devagar, sem pressa, com respirações leves e com concentração. É também o momento que o profissional de saúde está mais cansado, e por isso, toda a atenção deve ser voltada para o procedimento, evitando distrações e conversas paralelas.

(I) A parte externa da luva estará potencialmente contaminada, de forma que é importante ter em mente a separação de área limpa (interior da luva, que está em contato com a pele) e área potencialmente contaminada (parte externa da luva);

(II) Com uma mão puxe a luva pela parte externa, até virá-la do avesso, removendo-a da mão;

(III) Com a mão sem luva, pegue a luva removida pela parte interna (parte limpa, luva estará do avesso) e use a própria luva para remover a outra luva;

(IV) Descarte as luvas em lixo infectante;

(V) Higienize muito bem as mãos com água e sabão ou álcool gel imediatamente após o procedimento.

Como utilizar luvas duplas?

A utilização de dois pares de luvas, uma sobre a outra, é indicada para aumentar a proteção do profissional de saúde no momento da desparamentação. Ao retirar a luva de cima, grande parte da carga infectante é eliminada e o profissional pode, com maior segurança, realizar a desparamentação ainda protegido pela luva de baixo limpa (segunda pele), diminuindo a transferência de contaminantes e a geração de aerossol durante a retirada dos EPIs. É recomendando que todos os EPIs sejam retirados com as mãos enluvadas, sendo as luvas a última coisa a serem descartadas, seguido da higienização das mãos com álcool 70 e água e sabão.

Existem duas maneiras de se utilizarem dois pares de luvas. Assista ao vídeo a seguir para maiores informações:

Referências

  1. Secretaria de Estado da Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica. Divisão de Infecção Hospitalar Recomendações sobre o uso de luvas em serviços de saúde. Available online: http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/infeccao-hospitalar/bmr/doc/ih16_bmr_uso_luvas.pdf.

 

Como colocar a N95

Faça o download do poster para impressão aqui

(i) Tenha um pequeno espelho disponível para facilitar a colocação da máscara;

(ii) Certifique-se que suas mãos e antebraços estão higienizados;

(iii) Posicione o respirador sobre a palma da mão, com o lado côncavo voltado para cima;

(iv) Posicione o respirador sobre o rosto, na região do nariz e boca e prenda os elásticos atrás da cabeça. Posicione o elástico superior acima das orelhas e o inferior na região da nuca. Os elásticos do respirador não devem estar torcidos ou sobrepostos, pois isso pode comprometer a vedação do respirador;

(v) Pressione a haste metálica (ponte nasal) na região do osso nasal, ajustando o respirador ao rosto, para que vede da melhor forma possível. Utilize ambas as mãos, para garantir que a mesma força seja aplicada em ambos os lados;

(vi) Faça o teste de pressão negativa: cubra o máximo que puder do respirador com as mãos e exale e inspire algumas vezes. Se a colocação estiver correta, a máscara deve movimentar, ceder levemente;

(vii) Avalie possíveis escapes de ar;

(viii) Caso ainda existam escapes de ar ou o teste de pressão tenha falhado, tente ajustar a máscara novamente e refaça os passos (v) e (vi).

Obs.: Pessoas com cabelo comprido devem prender os fios em forma de coque ou rabo de cavalo, desde que o rabo não fique preso entre o elástico e cabeça. Brincos não devem ser utilizados, pois eles podem enroscar nos elásticos na hora de colocar e retirar a máscara. Pessoas com maquiagem devem fazer a remoção da mesma, bem como aqueles que possuem barba devem se barbear com lâmina de barbear, mantendo o rosto liso.

Lembre-se, o teste de vedação de máscaras é obrigatório!